terça-feira, 28 de novembro de 2017

duas canções


*duas canções*

não falar de política 
de futebol, religião, ou
de sociedades secretas
não ter vontade crítica
nunca achar ter razão
em discussões abertas

não dar opinião
não criticar
ouvir e calar
sobre qualquer questão

"estar de bem com outros
e de mal contigo".

LuísM-28.11.2017
.......
"xé, minino, não fala política", by  Valdemar Bastos


letra:

velha chica
(by Djavan & Dulce Pontes)

Antigamente que a velha Chica

Vendia cola e gengibre
Antigamente que a velha Chica
Vendia cola e gengibre
E lá pela tarde, ela lavava
A roupa de um patrão importante
E lá pela tarde, ela lavava
A roupa de um patrão importante
E nós os miúdos lá da escola
Perguntávamos a vovó Chica
Qual era a razão daquela pobreza
Daquele nosso sofrimento
Qual era a razão daquela pobreza
Daquele nosso sofrimento

Xê menino, xê menino não fala política

Não fala política, não fala política
Xê menino não fala política
Não fala política, não fala política

Mas a velha Chica

Embrulhada nos pensamentos
Ela sabia, mas não dizia
A razão daquele sofrimento
A razão daquele sofrimento

Xê menino, xê menino não fala política

Não fala política, não fala política
Xê menino não fala política
Não fala política, não fala política

E o tempo passou

E a velha chica
Só mais velha ficou
Ela somente fez uma cubata...
Com tecto de zinco
Com tecto de zinco...

Xê menino, xê menino não fala política

Não fala política, não fala política
Xê menino não fala política
Não fala política, não fala política

Mas quem vê agora o rosto

Daquela senhora, daquela senhora
Só vê as rugas do sofrimento
Do sofrimento, do sofrimento
E ela agora só diz...

Xê, menino quando eu morrer

Quero ver Angola em paz
Quero ver Angola em paz...
Xê, menino quando eu morrer
Quero ver Angola e o mundo em paz.
.....

"que força é essa, amigo, que te põe de bem com outros e de mal contigo", by Sérgio Godinho


letra:
Que força é essa (amigo)
by: Sérgio Godinho



Vi-te a trabalhar o dia inteiro
construir as cidades pr´ós outros
carregar pedras, desperdiçar
muita força p´ra pouco dinheiro
Vi-te a trabalhar o dia inteiro
Muita força p´ra pouco dinheiro
Que força é essa
que força é essa
que trazes nos braços
que só te serve para obedecer 
que só te manda obedecer
Que força é essa, amigo
que força é essa, amigo
que te põe de bem com outros
e de mal contigo
Que força é essa, amigo
Que força é essa, amigo
Que força é essa, amigo

Não me digas que não me compr´endes
quando os dias se tornam azedos
não me digas que nunca sentiste
uma força a crescer-te nos dedos
e uma raiva a nascer-te nos dentes
Não me digas que não me compr´endes
(Que força...)
(Vi-te a trabalhar...)
Que força é essa
que força é essa
que trazes nos braços
que só te serve para obedecer
que só te manda obedecer
Que força é essa, amigo
que força é essa, amigo
que te põe de bem com outros
e de mal contigo
Que força é essa, amigo
Que força é essa, amigo
Que força é essa, amigo
Que força é essa, amigo.

Sem comentários:

Enviar um comentário