segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Violeta Parra




Ela despediu-se agradecendo à vida

Nasceu há cem anos Violeta Parra, a mulher que traduziu em música a alma do Chile e que continua “cada vez” mais atual. Assim o afirmam a filha e a neta, Isabel e Tita Parra, também elas cantautoras e que vão dar um concerto a Lisboa. Ambas falaram ao Expresso


A guitarra foi o primeiro e único instrumento de Violeta Parra, ensinado pela mãe
A guitarra foi o primeiro e único instrumento de Violeta Parra, ensinado pela mãe
FOTO D.R.

Nasceu no campo chileno, filha de Clarisa e Nicanor, camponesa e professor de música, pais de outros quatro filhos. Todos, sem exceção, seguiram o rumo da música, mas foi Violeta, Violeta Parra, a que mais se destacou. E ela não se limitou a cantar: passou anos a investigar e gravar a música tradicional do seu país de um modo como ninguém antes o tinha feito, desenterrando uma herança até então desconhecida.
Hoje, as suas canções são indissociáveis desse Chile interior, dessas notas que sempre estiveram lá, à espera de que alguém as recolhesse. Há cem anos que viu o mundo pela primeira vez e há 50 que morreu tragicamente, cometendo suicídio. Justamente um ano depois de escrever a sua canção mais conhecida, o hino “Gracias a la vida”.
in: jornal "Expresso"
(Integral em http://expresso.sapo.pt/cultura/2017-09-12-Ela-despediu-se-agradecendo-a-vida)



2 comentários: