sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Sona Jobarteh & Band - Kora Music from West Africa



SONA JOBARTEH - O SITE OFICIAL

 Sona Jobarteh é a primeira fêmea virtuosa Kora a vir de uma prestigiada família griot ocidental africana. Rompendo com a tradição, ela é uma pioneira moderna em uma antiga tradição hereditária dominada pelos homens que foi transmitida exclusivamente de pai para filho nos últimos sete séculos. 

Também compositor, produtor e multi-instrumentista, Sona é um dos mais excitantes talentos da tradição Griot do Oeste Africano para chegar ao palco nos últimos anos. 

Sona tem uma capacidade sem esforço para misturar estilos musicais e usa sua postura inovadora para falar sobre questões relacionadas com a identidade cultural, gênero, amor e respeito, enquanto ainda aderindo e enraizando-se firmemente no seu património cultural tradicional. Sona representa a sua tradição de uma forma que é facilmente acessível ao seu público de todo o mundo, que são atraídos por sua voz cativante, ritmos fortes e melodias cativantes.

http://www.sonajobarteh.com

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

O Rei dos Álamos _Erlkönig - Jessye Norman - Schubert - Legendado - Português


O Rei dos Álamos
o 2° poema de Goethe

Franz Schubert compôs seu lied Erlkönig em 1815 para voz e piano, com o texto do poema de Goethe. Schubert avaliaram a sua obra três vezes antes de publicar sua quarta versão, em 1821, como seu Opus 1; após a sua morte foi listada como D.328, usando o sistema de Otto Erich Deutsch . Ele foi testado para a primeira vez em um concerto no dia 01 de dezembro de 1820 em uma reunião privada em Viena . Foi apresentado ao o público em 07 de março de 1821 no Theater am Kärntnertor na mesma cidade (wikipédia)
Na opinião de António Vitorino de Almeida (compositor),
esta obra musical é uma das mais belas e foi criada pelo autor, quando contava apenas 16 anos.


O Rei dos Álamos
(tradução de Eugénio de Castro)

Quem cavalga tão tarde, ao vento e pela treva?
O cavaleiro é um pai, p'lo filho acompanhado,
Pai que, nos braços seus, o filho leva,
Cingindo-o muito, a fim de o ter agasalhado.

- Porque escondes, meu filho, essa carinha, tanto?
- Dos álamos, o Rei, meu pai, não o vês?
Não o vês tu, meu pai, coroado e com manto?
- Engana-te da bruma, alguns flocos talvez.

- Vem comigo, meu lindo! Ah, vem comigo! Vens!
Contigo jogarei jogos bem divertidos;
Muitas garridas flor's nas minhas ribas tens,
Minha mãe tem para ti áureos vestidos.

- Aos teus ouvidos, pai, dize-me cá, não chega
Tudo aquilo que o Rei me promete baixinho?
- Não te inquietes, meu filho, ó meu meu filho sossega:
Co'as folhas secas anda o vento em murmurinho.

- Vê lá se a vir comigo, ó lindo, te abalanças!
Tenho filhas que bem te saberão tratar,
Minhas filhas, verás! dançam nocturnas danças
E assim te embalarão, a dançar e a cantar.

- O teu olhar, meu pai, ainda não devassa
Das princesas o grupo, além na escuridão?
- Filho, filho, bem vejo o que em torno se passa
Só os salgueiros vês, que entre as névoas estão.

- Gosto muito de ti, dessa linda figura,
Não resistas, senão a força empregarei.
- Meu pai, o Rei prendeu-me agora com mão dura!
Ai! quanto me magoou dos álamos o Rei!

O pai, todo a tremer, apressura a montada,
Todo abraçado ao seu queixoso pequenino,
Depois de apuros tais, chaga à sua morada,
Porém nos braços seus vai já morto o menino.

Goethe

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Poema_Piedade Araújo Sol

Poema

norvz austria
quero ver-te,
mesmo que seja ao lusco fusco,
mesmo que seja nas tardes frias,
ou ao nascer do dia
assim, em forma de pássaro
a voar
selvagem e livre
dentro e fora de mim…

© Piedade Araújo Sol 2012-12-12

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Karl Jenkins - Lament For The Valley


Homenagem sobre a tragédia de Aberfan | País de Geles | 1966 | 50° aniversário

Fez recentemente 50 anos que, no dia 21 de Outubro de 1966, ocorreu uma tragédia na pequena localidade de Aberfan, no País de Gales. Os detritos da escombreira de uma mina de carvão próxima, misturados com a água das chuvas intensas que caíram na região, formaram uma torrente de lama negra que, rapidamente, desceu pela encosta da montanha até ao vale e soterrou grande parte da povoação, tendo então morrido 144 pessoas (116 crianças e 28 adultos).

Para lembrar esse desastre, o músico e compositor galês Karl Jenkins (n.1944) dirige uma orquestra juvenil de violinistas, que acompanha um coro de crianças cantando a “Cantata Memória – Lament for the Valley”